quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Contra o preconceito, 'gordinhas' do DF fazem ensaio sexy em motel



Cansadas de ouvir que não poderiam usar biquínis, decotes ou roupas curtas por estarem acima do peso, duas empresárias do Distrito Federal resolveram "escancarar" e fazer um ensaio fotográfico sensual, vestindo apenas roupas íntimas, para publicar na internet. O objetivo da divulgação das imagens, segundo elas, é mostrar que mulheres gordinhas podem ser felizes, autoconfiantes e se sentir “gostosas pra caramba”.
Janaína Graciele, modelo plus size (Foto: Márcia Mossmann/Divulgação)Janaína Graciele, modelo plus size
(Foto: Márcia Mossmann/Divulgação)
“Você pode ser gorda e ainda assim ter a sensualidade necessária para se sentir bem”, diz a empresária e professora de educação física Dione Gumes, de 44 anos.
"Muitas mulheres acham que não podem comprar lingerie, ir a um motel, acham que não podem fazer nada porque estão acima do peso. A gente quer mostrar que, mesmo gordinha, ela pode sim ser feliz", diz a modelo e vice miss Plus Size DF Janaína Graciele, de 38 anos.
Com 92 quilos, Dione diz ter perdido as contas de quantas cadeiras já quebrou e em quantas roletas de ônibus já ficou entalada. Após 15 anos lutando contra a obesidade, a professora diz ter conseguido perder parte do sobrepeso, mas afirma que não foi o número menor na balança que provocou a mudança necessária para que ela se aceitasse. “Passei a ver meu corpo como uma dádiva. Tenho muitas cicatrizes das plásticas que fiz depois que emagreci, mas para mim são uma conquista”, diz.
Janaína conta que engordou 30 quilos em sete anos e três gestações. Segundo ela, foram cinco anos em depressão, imersa em trabalho e na rotina doméstica para fugir do espelho. A mudança só ocorreu depois de uma participação despretensiosa em um concurso de beleza para mulheres acima do peso. Ela ficou em segundo lugar.
Recebemos muita cantada. Demais. Meu bem, é um namorado para cada dia da semana. Muitos homens curtem as mulheres 'plus size'. Muitos gostam de desfilar com as magrinhas, mas desejam as gordinhas."
Dione Gumes, modelo e empreendedora
“A vencedora tinha 18 anos, e eu, 36. Foi então que vi que eu tinha potencial, vi que não precisava ter perdido cinco anos da minha vida", afirma. "Quando os filhos estavam um pouco maiorzinhos, pensei: ‘Agora vou cuidar da minha vida, fazer algo por mim’. Como me senti feliz, amada e valorizada no concurso pensei: 'Posso ajudar outras pessoas também, fazer outras pessoas iguais a mim se aceitarem também", conta.
Para as modelos, as fotos contribuem não só para a elevar a própria autoestima, por meio de elogios e até cantadas, mas também para incentivar outras meninas e mulheres a se verem com um olhar diferente. “Muitas mulheres obesas sofrem, ouvem do marido que são traídas porque estão gordas. Mas quando as pessoas veem as [nossas] fotos, ou suas [próprias] fotos, e os elogios começam a aparecer, tudo muda, porque a pessoa obesa, depressiva, precisa de provas testemunhais, elogios", diz Dione.
Dione Gumes, modelo plus size (Foto: Márcia Mossmann/Divulgação)Dione Gumes, modelo plus size
(Foto: Márcia Mossmann/Divulgação)
Fã clube
Além da autoconfiança, as empresárias contam que, nos últimos anos, ganharam dezenas de admiradores. Dione diz que, se quiser, tem um namorado para cada dia da semana. Já Janaína se vê obrigada a publicar mensagens nas redes sociais explicando que é casada e que não está à procura de relacionamentos.
“Recebemos muita cantada. Demais. Meu bem, é um namorado para cada dia da semana”, conta Dione. “Muitos homens curtem as mulheres 'plus size'. Muitos gostam de desfilar com as magrinhas, mas desejam as gordinhas. Eles têm desejo mesmo, vontade de pegar. Da mesma forma que alguns homens desejam mulheres muito magrinhas. Tem gosto para tudo.”
Casada há 13 anos, Janaína diz ser muito bem resolvida "entre quadro paredes". "Meu marido fala que adora ter onde pegar. Dizem que as gordinhas têm mais fogo", afirma. "Podemos colocar uma lingerie que valorize nossas curvas, pernas, seios."
Apesar de incentivaram o amor próprio, as modelos deixam claro que não incentivam a obesidade. “O objetivo é fazer com que os obesos se amem do jeito que são, mas que não descambem para a obesidade mórbida”, afirma Dione.

“Sempre bato na mesma tecla: não é apologia à obesidade. A obesidade é uma doença. Mas a pessoa que é obesa, ou tem sobrepeso, tem que viver em sociedade normalmente. Não tem que se esconder só porque veste 42", diz Dione. "A sociedade tem que ver o obeso com o olhar normal. Você nasce com aquele biotipo, não adianta passar fome por 20 anos que o corpo não vai mudar e você ainda vai provocar outros tipos de doenças."
Dione Gumes e Janaína Graciele, modelos plus size (Foto: Márcia Mossmann/Divulgação)Dione Gumes e Janaína Graciele, modelos plus
size (Foto: Márcia Mossmann/Divulgação)
BSB Plus Size
Depois de vencer o concurso, Janaína conta que passou a ser procurada nas redes sociais por dezenas de meninas e mulheres. "As pessoas queriam saber qual era a 'receita'. Quando vi, já tinha 20 meninas conversando muito, e então decidimos marcar reuniões e até sessões de fotos", disse.
Desde então, o grupo 'BSB Plus Size' já iniciou diversos projetos, entre eles um calendário com fotos de 12 mulheres em monumentos de Brasília. Depois, Janaína lançou uma revista voltada para o segmento plus size da capital e uma campanha de prevenção ao câncer de mama.
Além das fotos sensuais, as empresárias pretendem reunir em um site informações úteis para mulheres acima do peso. "O site vai ter ensaios fotográficos, livros, contos, dicas de lojas que vendem roupas especializadas em plus size, cursos de modelo, oportunidades de emprego, um conteúdo mais adulto e com fotos bem mais sensuais, para pessoas acima de 18 anos", diz Janaína. "Falta aceitação, faltam lojistas, faltam fabricantes de roupas legais, lingeries legais, mas as pessoas ainda não enxergam".
"Muitas pessoas se escondem atrás da gordura, e minha vontade é de dizer: ‘Você não precisa se esconder, você é uma pessoa linda”, diz Dione. “Não importa o que as pessoas digam; ‘fulano não gosta de mim porque sou gorda’. Ninguém vai gostar ou não de você pelo número do seu IMC, pela quantidade de gordura no seu corpo. Se sim, essa pessoa nem merece sua consideração. Cada pessoa é única. Você tem que se gostar. É uma frase ridícula, mas é verdade. Porque se não, você não vai conseguir nem se olhar no espelho.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário